Publicações

RBRH
Revista Brasileira de Recursos Hídricos
Brazilian Journal of Water Resources

ISSN 2318-0331

VOLUME. 8 - Nº. 3 - JUL/SET - 2003
ARTIGO
Resistência ao Fluxo em Canais Íngremes com Leito de Cascalho
Resumo:
Neste trabalho procurou-se quantificar os fluxos subsuperficial e superficial em um canal de alta declividade com uma camada de cascalho no leito, com a finalidade de relacionar as vazões com as características hidráulicas do canal. Nos cursos naturais de água com alta declividade, o leito é formado de uma grossa camada de cascalho e duas condições de escoamento podem ser observadas. A primeira, a condição mais comum, quando o fluxo fica confinado na camada de cascalho e a segunda, na ocorrência de cheia, quando a superfície da água fica bem acima da camada de cascalho. O comportamento hidráulico do leito de cascalho foi investigado experimentalmente e os resultados mostraram que para o escoamento através da camada de cascalho, a lei de Darcy precisa ser modificada para este tipo de meio poroso e a relação proposta por Stephenson parece ser bastante satisfatória. Para a segunda condição de escoamento, foi analisada a variação da resistência do leito de cascalho. A equação desenvolvida por Ugarte e Madrid, para o cálculo da resistência ao fluxo através da modificação do coeficiente n de Manning, e as equações de Hey e de Bathurst, para o coeficiente f de Darcy-Weisbach, foram avaliadas e essas equações mostraram-se ser satisfatórias em certas condições associadas do tamanho do material e da declividade do leito. 
Palavras-chave: Canais Íngremes, Leito de Cascalho. 

 

 

64 visualizações   18 downloads     Contabilizado a partir de 10/08/2014