Publicações
REGA - Revista de Gestão de Água da América Latina - ISSN 2359-1919
VOLUME. 17 - JAN/DEZ - 2020
ARTIGO
Panorama geral sobre dados hidrológicos com ênfase em eventos hidrológicos extremos
Resumo:
O conhecimento depende da existência de dados. A hidrologia moderna tem sido, prioritariamente, pautada em dados quantitativos provenientes das estações de monitoramento. No entanto, outras fontes podem fornecer dados relevantes ao avanço da hidrologia como demonstrado por pesquisadores desde a década de 1970. O panorama geral sobre o assunto evidencia a falta de padronização das terminologias dos tipos de dados e de fontes, podendo conduzir a equívocos. Além disso, ainda não existe consenso sobre o uso de dados provenientes de outras fontes, além das
estações de monitoramento. Neste contexto, o presente estudo sugere a padronização nas denominações dos dados, bem como em suas fontes. Para isso, levou-se em consideração as características do registro, classificando-os em: dados sistemáticos e dados não sistemáticos. Os dados sistemáticos são dados quantitativos, mensurados continuamente ao longo do tempo com intervalo temporal pré-definido em um determinado local, enquanto os dados não sistemáticos são provenientes de uma grande variedade de outras fontes de dados que se caracterizam, principalmente, por registros cuja posição e intervalo temporal são variáveis. Quanto às fontes dos dados, sugere-se a classificação de acordo com a sua origem: evidência instrumental evidência natural e evidência documental. Considerando a relevância dos dados não sistemáticos, principalmente ao que tange eventos hidrológicos extremos, sugere-se o uso integrado de dados sistemáticos e não sistemáticos aplicando o método de triangulação de dados. 
Palavras-chave: Dados Sistemáticos; Dados Não Sistemáticos; Comunidade; Desastres; Reconstrução; Sociohidrologia. 

 

 

General overview of hydrological data with emphasis in extreme hydrological events
Abstract:
Knowledge depends on the existence of data. Modern hydrology has been primarily based on quantitative data from gauging stations. However, other sources may provide data relevant to hydrology progress as demonstrated by researchers since the 1970s. The general picture on the subject highlights the lack of standard terminologies for data types and sources, which can lead to misunderstandings. Besides, there is still no consensus on the use of data from sources other than monitoring stations. In this context, in the present study, we suggested standard denomination for data and their sources. We classified from the recorded characteristics as systematic data and nonsystematic data. Systematic data are quantitative data, measured continuously over time with a pre-defined time interval at a given position, while non-systematic data are from a wide variety of other data sources, whose position and time interval of data are variable. We also classified the data sources according to the origin: instrumental evidence, natural evidence, and documentary evidence. Considering the relevance of non-systematic data, mainly concerning extreme hydrological events, we suggested the use of both data - systematic and non-systematic - applying the data triangulation method. 
Keywords: Dados Sistemáticos; Dados Não Sistemáticos; Comunidade; Desastres; Reconstrução; Sociohidrologia. 

 

 

35 visualizações   18 downloads     Contabilizado a partir de 10/08/2014